Radio Católica On-line

Homens a Luz de Deus.

Aleluia! Tu é abênçoado, e a sua Graça ja estar sendo preparada por Jesus, chegará em uma boa hora, pois ele conhece o teu coração e seus problemas, ele sofre com vc, ele se alegra com vc, mais aquele seu desejo, será agora atendido, espere que um anjo trará sua Graça, apenas agradeça ao Senhor e assim que receber, fale em seu pensamento. AMEM !

2010/10/23

EQUADOR: PAPA PEDE QUE SE GARANTA ENSINO RELIGIOSO NAS ESCOLAS

Ao receber o novo embaixador do país na Santa Sé

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 22 de outubro de 2010 (ZENIT.org) - O Papa defendeu o direito ao ensino religioso escolar no Equador, que a lei prevê também nos colégios do Estado, assim como o respeito à identidade e autonomia das instituições educativas católicas.
Ele o fez hoje, ao receber no Vaticano o novo embaixador do Equador na Santa Sé, Luis Dositeo Latorre Tapia, por ocasião da apresentação das suas cartas credenciais.
"Os pais têm de contar com que a liberdade de educação seja promovida também nas instituições docentes estatais, para as quais a legislação continuará garantindo o ensino religioso escolar dentro da grade curricular correspondente aos fins próprios da escola enquanto tal."
Também destacou que "a autoridade pública deve garantir o direito que assiste os pais, tanto de formar seus filhos segundo suas próprias convicções religiosas e critérios éticos, como de fundar e sustentar instituições docentes".
Bento XVI recordou ao embaixador que "uma das grandes metas que vossos concidadãos se propuseram foi a de conseguir uma ampla reforma do sistema educativo".
E acrescentou que "a identidade mais profunda da escola e da universidade não se esgota na mera transmissão de dados ou informações úteis, mas responde à vontade de infundir nos alunos o amor à verdade, que os conduza àquela maturidade pessoal com que deverão exercer seu papel de protagonistas do desenvolvimento social, econômico e cultural do país".
Promoção do desenvolvimento
Em um sentido mais amplo, recordou "quantos benefícios a fé católica pode oferecer à promoção de todas aquelas iniciativas que dignificam a pessoa e aperfeiçoam a sociedade".
Também indicou que a comunidade eclesial "colabora com o esforço que as autoridades equatorianas vêm levando a cabo nestes últimos anos para redescobrir os alicerces da própria convivência democrática, fortalecer o Estado de direito e dar um novo impulso à solidariedade e à fraternidade".
E confessou que reza para "que o bem comum prevaleça sobre os interesses de partido ou classe; para que o imperativo ético seja ponto de referência obrigatório de todo cidadão; para que a riqueza seja equitativamente distribuída; e para que os sacrifícios sejam compartilhados por igual".
Pessoa: alma e corpo
Em referência à realidade do Equador, destacou sua "riqueza de raras belezas paisagísticas" e "o leque de qualidades que enfeitam os equatorianos, gente hospitaleira e empreendedora, que reconhece que não há progresso justo nem bem comum universal sem o bem espiritual e moral das pessoas, consideradas em sua totalidade de alma e corpo".
E sobre este aspecto, recordou que "a história ensina que o desconhecimento ou a tergiversação desta verdade sobre o homem é frequentemente o pórtico de injustiças e totalitarismos".
Segundo o Papa, a justiça social "não poderá se afirmar a não ser a partir do apoio e da proteção, também em termos jurídicos e econômicos, da célula original da sociedade, que não é outra senão a família estabelecida sobre a união matrimonial de um homem com uma mulher", continuou.
E acrescentou: "De fundamental transcendência também serão aqueles programas destinados a erradicar o desemprego, a violência, a impunidade, o analfabetismo e a corrupção".
Função dos pastores
Finalmente, afirmou que, "na consecução destes nobres objetivos, os pastores da Igreja são conscientes de que não devem entrar no debate político (...), mas tampouco podem nem devem permanecer neutros diante dos grandes problemas ou aspirações do ser humano, nem ser indiferentes na hora de lutar pela justiça", reconheceu.
"Com o devido respeito à pluralidade de opções legítimas - destacou -, seu papel consiste em iluminar, com o Evangelho e a Doutrina Social da Igreja, as mentes e as vontades dos fiéis, para que escolham com responsabilidade as decisões encaminhadas ‘a construção de uma sociedade mais harmônica e ordenada."

1 comment:

jeveaux said...

Parabéns pelo Post...
Ensino Religioso, sim!
Que Jesus junto da amada Mãe Maria interceda!
:)

2010/10/23

EQUADOR: PAPA PEDE QUE SE GARANTA ENSINO RELIGIOSO NAS ESCOLAS

Ao receber o novo embaixador do país na Santa Sé

CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 22 de outubro de 2010 (ZENIT.org) - O Papa defendeu o direito ao ensino religioso escolar no Equador, que a lei prevê também nos colégios do Estado, assim como o respeito à identidade e autonomia das instituições educativas católicas.
Ele o fez hoje, ao receber no Vaticano o novo embaixador do Equador na Santa Sé, Luis Dositeo Latorre Tapia, por ocasião da apresentação das suas cartas credenciais.
"Os pais têm de contar com que a liberdade de educação seja promovida também nas instituições docentes estatais, para as quais a legislação continuará garantindo o ensino religioso escolar dentro da grade curricular correspondente aos fins próprios da escola enquanto tal."
Também destacou que "a autoridade pública deve garantir o direito que assiste os pais, tanto de formar seus filhos segundo suas próprias convicções religiosas e critérios éticos, como de fundar e sustentar instituições docentes".
Bento XVI recordou ao embaixador que "uma das grandes metas que vossos concidadãos se propuseram foi a de conseguir uma ampla reforma do sistema educativo".
E acrescentou que "a identidade mais profunda da escola e da universidade não se esgota na mera transmissão de dados ou informações úteis, mas responde à vontade de infundir nos alunos o amor à verdade, que os conduza àquela maturidade pessoal com que deverão exercer seu papel de protagonistas do desenvolvimento social, econômico e cultural do país".
Promoção do desenvolvimento
Em um sentido mais amplo, recordou "quantos benefícios a fé católica pode oferecer à promoção de todas aquelas iniciativas que dignificam a pessoa e aperfeiçoam a sociedade".
Também indicou que a comunidade eclesial "colabora com o esforço que as autoridades equatorianas vêm levando a cabo nestes últimos anos para redescobrir os alicerces da própria convivência democrática, fortalecer o Estado de direito e dar um novo impulso à solidariedade e à fraternidade".
E confessou que reza para "que o bem comum prevaleça sobre os interesses de partido ou classe; para que o imperativo ético seja ponto de referência obrigatório de todo cidadão; para que a riqueza seja equitativamente distribuída; e para que os sacrifícios sejam compartilhados por igual".
Pessoa: alma e corpo
Em referência à realidade do Equador, destacou sua "riqueza de raras belezas paisagísticas" e "o leque de qualidades que enfeitam os equatorianos, gente hospitaleira e empreendedora, que reconhece que não há progresso justo nem bem comum universal sem o bem espiritual e moral das pessoas, consideradas em sua totalidade de alma e corpo".
E sobre este aspecto, recordou que "a história ensina que o desconhecimento ou a tergiversação desta verdade sobre o homem é frequentemente o pórtico de injustiças e totalitarismos".
Segundo o Papa, a justiça social "não poderá se afirmar a não ser a partir do apoio e da proteção, também em termos jurídicos e econômicos, da célula original da sociedade, que não é outra senão a família estabelecida sobre a união matrimonial de um homem com uma mulher", continuou.
E acrescentou: "De fundamental transcendência também serão aqueles programas destinados a erradicar o desemprego, a violência, a impunidade, o analfabetismo e a corrupção".
Função dos pastores
Finalmente, afirmou que, "na consecução destes nobres objetivos, os pastores da Igreja são conscientes de que não devem entrar no debate político (...), mas tampouco podem nem devem permanecer neutros diante dos grandes problemas ou aspirações do ser humano, nem ser indiferentes na hora de lutar pela justiça", reconheceu.
"Com o devido respeito à pluralidade de opções legítimas - destacou -, seu papel consiste em iluminar, com o Evangelho e a Doutrina Social da Igreja, as mentes e as vontades dos fiéis, para que escolham com responsabilidade as decisões encaminhadas ‘a construção de uma sociedade mais harmônica e ordenada."

1 comment:

jeveaux said...

Parabéns pelo Post...
Ensino Religioso, sim!
Que Jesus junto da amada Mãe Maria interceda!
:)